Sabe aquela sensação de que o ano tá acabando?

Lembro bem quando comecei a escrever isso daqui. Estavam colocando aquelas luzinhas natalinas no meu prédio. Só naquela hora caiu minha ficha de que o ano já estava acabando e aí você começa a refletir sobre tudo o que passou, não é?

Hoje não vim falar sobre linguagem X, técnica Y ou evento Z.

Inspirado no meu amigo Pedro Marins, resolvi criar aquelas listinhas de metas para 2012 sabe? Só que mais do que isso, resolvi lembrar de tudo o que foi, sem dúvida o ano mais turbulento da minha vida profissional.

Não sei se vou lembrar de tudo, mas vou ao menos tentar. Então se você está aqui atrás de aprender algum assunto técnico, pode procurar outro post.

O ano de 2011 começou sem muitas surpresas, ainda estava lá programando em ActionScript 3 em uma máquina Windows na Caos! Design, meu primeiro emprego, e aproveitando as horas a mais enquanto não começavam as aulas na faculdade.

Só que duas coisas não eram as mesmas em mim.

Primeiro, o entusiasmo com relação a minha área que, por conta do Dev in Rio em outubro, tinha mudado e muito. Me deixando com muita vontade de fazer a diferença.

A outra coisa, era o interesse que o HTML5 estava despertando em mim. Em 2010 já estava estudando sobre o assunto, mas naquele esquema sozinho sem compartilhar o conhecimento aprendido com os outros. E notava uma lacuna gigantesca sobre esse assunto em português.

Pra começar bem o ano, em janeiro me aventurei na Campus Party em São Paulo. Passei uma semana descobrindo um mundo bem diferente por lá.

Em fevereiro encerrava-se aquela que seria minha última produção em Flash, o site de inverno da grife Shop 126. Nesse mesmo período também se encerrava minha trajetória de 1 ano e meio na empresa que me criou como profissional, a Caos! Design.

Foi realmente muito triste deixar tantos amigos, mas estava determinado a descobrir como era trabalhar em uma grande empresa desenvolvendo uma aplicação de grande porte.

Foi aí que em março comecei a trabalhar na Petrobras e lá passei a desenvolver em Java. Só que sempre que pintava algo de frontend pra fazer, era no meu colo que caia, já que eu tinha mais facilidade que o resto da equipe. E o pior, tinha que dar suporte ao IE 6 =/

Nova empresa, novos chefes, nova posição, novos colegas. Nesse meio tempo na Petrobras fui aprendendo muito, não só sobre as tecnologias que utilizávamos pra desenvolver a aplicação, mas sim sobre como lidar com as pessoas e enfrentar as barreiras que uma grande empresa coloca na sua frente.

Em abril, migrei para o sistema operacional Ubuntu. (se você é desenvolvedor e ainda não conhece ele, dê uma olhadinha #ficadica)

Maio, começou quente. Primeiro com a abertura da chamada de trabalhos para o III Fórum de Software Livre de Duque de Caxias. Não sei como fiquei sabendo desse evento e também não sei porque enviei a proposta de uma palestra pra lá. Só sei que foi aceita. (leia mais aqui)

Durante a expectativa da minha primeira palestra rolou a chance de dar uma Lightning Talk de 10 minutos no 13º Encontro Locaweb de Profissionais de Internet. (leia mais aqui)

Em paralelo estava nascendo o #beerblogging uma ideia muito legal que, por mais que não tenha ido longe, me incentivou a criar esse blog e compartilhar o conhecimento com outras pessoas. (leia mais aqui)

Em agosto rolou a primeira edição do rio.js, um encontro pequeno que volta e meia rola na Globo.com no qual eu tenho muito apreço. Mais tarde surgiriam outros grupos regionais com o mesmo princípio.

No início de junho, finalmente rolou minha primeira palestra e de cara em um evento muito legal que contou com a presença do Rasmus Ledorf, criador do PHP e Jon “Maddog” Hall, Diretor Executivo da Linux Internacional, o FSLDC. (leia mais aqui)

Duas semanas depois era vez de palestrar no Front in Rio 2011, dessa vez para falar sobre o HTML5 Boilerplate de uma maneira mais aprofundada e para um público mais técnico. Lá tive o orgulho de ter o Maujor na plateia (é só achar o único de cabelinho branco na foto), através dele que aprendi muito do que sei.

Em julho, lancei meu primeiro projeto open source, o jQuery Boilerplate. Que no lançamento tomou proporções assustadoras por todo o mundo e até hoje é meu projeto mais popular no Github.

Em setembro, lancei um projeto experimental em HTML5, o Wormz, junto com o Zanoni, um colega da faculdade. Matamos algumas aulas, aprendemos muito sobre canvas, enviamos pra galera da Google e de repente estávamos no Chrome Experiments, a galeria mais foda do planeta em experimentos de HTML5 (leia mais aqui).

Em outubro, resolvi mudar de ares. E topei em entrar no Globoesporte.com. E de novo, nova empresa, novos chefes, nova posição, novos colegas. E dessa vez sistema operacional novo também. Migrei de um Linux para um Mac.

Novembro foi recheado de eventos. No dia 5, fiz duas palestras no mesmo dia. De manhã no Encontro de Tecnologia Simonsen e a tarde no PHP’n Rio 2011 (leia mais aqui). Depois, no dia 19, fui lá pra São Paulo a convite do grande amigo Suissa, palestrar na GoNow no evento sampa.js. Já no dia 23, pra fechar o período de palestras, não poderia ter sido em lugar melhor. Fui até a Caos! Design e fiquei muito feliz em falar para o pessoal sobre um assunto que está muito em evidência por lá (leia mais com o lindo texto da gabi aqui).

Em dezembro, pra fechar o ano com chave de ouro, o jQuery Boilerplate foi eleito um dos projetos jQuery mais relevantes de 2011 pelo SpeckyBoy e Tableless.

As palestras podiam ter acabado, só que em dezembro dei meu primeiro treinamento em uma empresa em BH, a convite do amigo Bernard De Luna. Foram 2 dias incríveis.

E assim foi 2011. Não foi fácil lembrar e listar tudo isso, mas fico feliz em ver como tanta coisa mudou entre o início e o final desse ano.

Conciliar o trabalho, com as palestras e com a faculdade, não foi nada fácil, isso é fato. Mas as inúmeras madrugadas acordado valeram a pena. Na faculdade passei em todas as matérias nesses dois períodos, não com as melhores notas do mundo, mas passei. No trabalho as coisas vão muito bem e os produtos que estamos lançando fazendo cada vez mais sucesso. Nas palestras, apesar do nervosismo sempre presente, tudo tem corrido bem e fico feliz em ser o palestrante mais novo de todos os eventos que participei esse ano.

Nunca fui um cara de fazer metas para o ano novo, mas dessa vez resolvi fazer só pra ver se sou capaz de cumpri-las. E para tentar deixar a brincadeira mais legal decidi deixa-las aqui publicamente para ver se esforço mais.

  1. Escrever pelo menos um artigo a cada 30 dias. De preferência no blog dos outros.
  2. Fazer exercício físico pelo menos 1 vez na semana.
  3. Participar do maior número de eventos. Se possível palestrando neles.
  4. Ler pelo menos 12 livros. Sendo, de preferência, 70% técnicos e 30% não-técnicos.
  5. Me formar. E para isso sacrificar todos os outros itens da lista.

E que venha 2012 amigo, vamos fazer barulho!